quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Psiquiatra

O diagnóstico veio quando o Lucas tinha 5 anos. Foi feito dentro de um elevador, após 10 segundos de "consulta". AUTISMO. Assim, na lata. Ela estava certa. Ele é autista. Mas o que disse depois me causa um ódio profundo até hoje quando me lembro!

"Larguem todas as terapias, tenham outro filho pra poder cuidar desse quando vocês faltarem. Parem de gastar com ele. Ele vai ser, no máximo, treinado. Como meu cachorro, que eu treinei pra pegar meus chinelos."

Chuuupaaa Dra.!!! Ele é carinhoso! Entende tudo o que falamos e mostra sua própria opinião! Se vira sozinho quando tem fome! Toma banho sozinho! Vai ao banheiro sozinho! Sorri e demonstra entendimento nas brincadeiras!

E é amadooo!! Coisa que a dra. não dever ter sido! Porque, tentar tirar as esperanças de um pai e uma mãe assim, dentro de um elevador, demonstra uma total falta de responsabilidade e um total desprezo pelo sentimento do próximo.

Tá, a dra. estudou muito pra chegar onde chegou. Mas ninguém tem o direito de condenar uma vida assim, agindo como se estivesse baseada em pilares sólidos. Nem mesmo a dra., armada de todos os seus diplomas.

Chuuupaaaa!!!

4 comentários:

Tata disse...

vc quebro a cara dela ou mando a merda?

Albalena disse...

O Lucas beliscou!! *_*

Mariana disse...

OMG!
Q coisa mais horroroza para se dizer!
Conheço mtos autistas carinhosos!
E manda ver nas terapias ;)

Adriele disse...

Para pessoas assim, Deus dá cachorros. Para pessoas iluminadas, crianças especiais. Ainda bem que você, alguém que vibra energia positiva a todo momento, teve a oportunidade de crescer e se desenvolver com uma pessoinha (pequenino, veja bem) tão maravilhosa. Ela não seria capaz.